Vitor Hugo não aceita indicação do nome de Sales Dantas para vice

As movimentações na Cidade Portuária para a eleição complementar estão intensas e a escolha de nomes para a disputa já anda gerando veto. O prefeito Vitor Hugo (PRB) já avisou que não aceita a indicação do nome de Sales Dantas, presidente do PSB de Cabedelo, para compor como seu vice.

“O único vice que não aceitaria ao meu lado é Sales Dantas.  Além de não ter voto e não ser de Cabedelo, Sales não soma, ele só divide. Aceitaria qualquer um, menos Sales”, disparou Vitor. Apesar do empenho na campanha de João Azevedo (PSB) na cidade, Vitor Hugo sempre foi excluído das articulações pelo comando do PSB de Cabedelo.

Vitor Hugo não revelou nomes, mas adiantou que tem conversado bastante com o PDT na cidade. O prefeito ponderou que o posicionamento indefinido de Sales põe em desconstrução os 18 mil votos que o PSB recebeu na eleição de Azevedo.


Blog do RC /politicaetc

“Não cometi nenhum crime”, diz Cássio após ser citado em conversas na Operação Xeque-Mate

Após ser citado em conversas com o filho do conselheiro do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB), Fernando Catão, Bruno Catão, o senador Cássio Cunha Lima nega ter envolvimento com as alegações.

“Não cometi nenhum crime. Espero uma investigação rápida e isenta para que tudo fique devidamente esclarecido”, declarou à produção de conteúdo da Rede Tambaú de Comunicação (RTC).

A divulgação das conversas decorre das investigações da Operação Xeque-Mate, deflagrada pela Polícia Federal (PF) e pelo Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público estadual. A ação investiga uma suposta organização criminosa que atuava na administração pública da cidade de Cabedelo, grande João Pessoa.

Diálogos do senador e Bruno Catão foram divulgadas. O suposto envolvimento de Catão no esquema teria resultado na proibição da construção do Shopping Pátio Intermares. Conforme apuração, o conselheiro teria agido, por intermédio das funções, em favor dos interesses empresariais do empresário Roberto Santiago.

Procurada, a defesa do empresário Roberto Santiago disse que encara a acusação com naturalidade e tranquilidade porque tem plena consciência que não constitui crime e que vai provar a inocência do empresário em qualquer instância.



T5.

Em Sapé/PB:Homem é preso após estuprar rapaz de 15 anos

Um homem identificado como Pedro Cândido da Silva, 48 anos, foi preso em Sapé, na noite dessa segunda-feira (15) após tentar abusar sexualmente de um adolescente de 15 anos. De acordo com a polícia, o homem convidou o adolescente para ir até a casa dele para retirar entulhos ao redor da residência.

Chegando ao local, o suspeito mostrou revistas pornográficas, ofereceu dinheiro para fazer sexo com a vítima e acariciou suas parte íntimas. O adolescente se negou a participar e fugiu.

A mãe do adolescente procurou a polícia e denunciou o crime. Com o suspeito foram encontradas revistas pornográficas, dinheiro e uma faca. Pedro Cândido foi preso e será encaminhado para o Presídio de Sapé. O Conselho Tutelar foi acionado e o adolescente passou por exame de corpo e delito.

Portal Paraíba

Pesquisa aponta que Bolsonaro já tem 60,9% das intenções de voto; Haddad tem 39,1%

Segundo pesquisa Crusoé/Paraná, divulgada nesta quarta-feira, Jair Bolsonaro (PSL) tem 60,9% dos votos válidos, contra 39,1% de Fernando Haddad (PT). A margem de erro é de 2 pontos percentuais para cima ou para baixo.

Ainda de acordo com o levantamento, 9,4% dos eleitores dizem não votar em nenhum dos dois, enquanto 3,8% afirmam estar indecisos.

A pesquisa foi realizada pelo Instituto Paraná Pesquisas entre 14 e 17 de outubro com 2.080 entrevistas em 162 municípios.

O nível de confiança é de 95%.

O registro no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) é BR-04446/2018.


 Istoé

PSOL cobra a vereadores continuidade do impeachment de Leto mesmo após renúncia

O pré-candidato a prefeito de Cabedelo, Marcos Antônio da Silva, o Marcos Patrício, que preside o PSOL em Cabedelo, protocolou nesta quarta-feira (17), na Câmara Municipal de Cabedelo, um requerimento à Comissão Processante do Impeachment de Leto Viana, para que a denúncia seja devidamente julgada pelos vereadores. Marcos anunciou hoje a sua postulação, após o anúncio da renúncia de Leto. 

Segundo Marcos Patrício, a renúncia de Leto Viana não inviabiliza o julgamento do mérito, já que o processo de impeachment poderá resultar na cassação de mandato eletivo e a inabilitação por até oito anos, como punição ao agente político por seus atos, impedindo-o de voltar a praticar ilicitudes no âmbito da
administração pública. 

Veja Petição

"A renúncia ao mandato, de forma irrevogável e irretratável, protocolada pelo ex-Prefeito Leto Viana, não faz cessar o processo de impeachment nem tampouco o mesmo perdeu o seu objeto, devendo o mesmo ter continuidade plena até sua etapa final, que é o julgamento do Parecer dessa Comissão Processante por parte do Plenário da Câmara, cujo prazo fatal se dará na data de amanhã, dia 18/10/2018", defende Patrício. 

De acordo com a petição, o julgamento procedente de processo de impeachment de prefeitos municipais tem duas consequências jurídicas: a perda do mandato político e a suspensão dos direitos políticos, com correspondente decretação de inelegibilidade, nos termos da Lei Complementar nº 64/1990, alterada pela Lei Complementa nº
135/2010 “a Lei da Ficha Limpa”.


Portanto, "a cassação do mandato de prefeito retira o direito político de exercício de mandato pelo qual foi eleito e limita através da inelegibilidade, o pleno gozo
dos direitos políticos passivos, qual seja a inelegibilidade futura", argumenta, afirmando que a renúncia de Leto é uma tentativa de fraude à lei, já que o processo encontra-se na fase final, que é a fase de julgamento. Segundo Marcos Patrício destaca, estava previsto para esta quinta-feira (18) o prazo fatal para julgamento do Parecer da Comissão Processante por parte do Plenário da Câmara. 






Redação




Defesa de Temer pede ao STF anulação de indiciamento promovido pela PF

A defesa do presidente Michel Temer pediu ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso a anulação do indiciamento promovido ontem (16) pela Polícia Federal (PF) no inquérito que apura o suposto favorecimento da empresa Rodrimar S/A na edição do chamado Decreto dos Portos (Decreto 9.048/2017), assinado em maio do ano passado pelo presidente.

Em manifestação enviada a Barroso, que é o relator do caso no STF, os advogados do presidente alegam que, devido ao foro por prerrogativa de função garantido ao presidente da República, a PF não tem competência para indiciar Temer.

Para os advogados, o indiciamento é ilegal e provoca repercussão na honorabilidade de Temer e “reflexos na estabilidade da nação".

"Chamou a atenção da defesa, a decisão da autoridade policial de proceder diretamente o indiciamento do requerente, sem qualquer autorização de Vossa Excelência [Barroso], ou mesmo pedido neste sentido por parte da Procuradoria-Geral da República (PGR), usurpando a competência exclusiva desta Suprema Corte", argumentou a defesa.

Na mesma petição, o advogado afirmou que Temer não praticou os fatos que lhe foram atribuídos no relatório final da investigação, enviado ontem pela PF ao ministro Barroso.

“A referida peça conta com mais de 800 laudas, de forma que a defesa não teve tempo de analisar o seu inteiro teor. Ainda assim, reafirma neste momento que o senhor presidente da República não praticou qualquer dos delitos que lhe foram atribuídos e que, seguramente, não há elementos suficientes para justificar a conclusão lá exposta.", concluíram os advogados.

Além de Temer, mais dez pessoas foram indiciadas no inquérito. Os crimes citados são de corrupção passiva, corrupção ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

 Após receber o documento, Barroso pediu parecer da Procuradoria-Geral da República (PGR), que terá 15 dias para se manifestar sobre eventual denúncia contra os acusados e os pedidos de bloqueio de bens e de prisão de quatro dos 11 indiciados.


Agência Brasil

Ibope: Bolsonaro lidera entre mulheres, negros e em quatro regiões

Os resultados da pesquisa de intenção de votos divulgada nessa segunda-feira (15) pelo Ibope Inteligência – que aponta vantagem do candidato Jair Bolsonaro (PSL) sobre Fernando Haddad (PT) na disputa presidencial de 2º turno, com placar de 59% a 41% dos votos válidos (excluindo nulos, brancos e indeciso) – se assemelham aos resultados das eleições presidenciais de 2002 e 2006.

A lembrança é da diretora-executiva do Ibope, Marcia Cavallari. Segundo ela, “os resultados são mais parecidos” com as eleições vencidas pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva do que com os pleitos ganhos pela ex-presidente Dilma Rousseff.

Em suas duas vitórias, Lula obteve em torno de 61% dos votos válidos. Na campanha de 2010, Dilma atingiu 56%. Em 2014, o percentual caiu para 51,6%.

Conforme Cavallari, os dados da última pesquisa eleitoral “mostram homogeneidade” em favor de Jair Bolsonaro. O candidato do PSL vence entre homens (58% das intenções de voto na pergunta estimulada, diante de 33% de Haddad), entre mulheres (46% contra 40%), e em todas as faixas etárias. Há preferência também entre brancos (60% contra 29%), pretos e pardos (47% contra 41%) e pessoas de outras raças ou cores (52% a 39%).

Bolsonaro também é preferido entre evangélicos (66% contra 24%), e tem mais intenção de votos entre católicos (48% contra 42%) e pessoas de outras religiões (44% contra 40%). Os dados são nominais – diferente da totalização de votos válidos que não contabilizam declarações de voto branco, nulo e de entrevistados indecisos.

Fernando Haddad vence apenas em três estratos, conforme levantado pelo Ibope. O candidato do PT é o favorito na Região Nordeste (57% contra 33%); entre os eleitores com até a 4ª série do ensino fundamental (52% contra 41%); e pessoas com até um salário mínimo de renda familiar (53% contra 38%). Jair Bolsonaro lidera nas demais regiões, faixas de escolaridade e níveis de renda.

Contornando ruídos com os mais pobres
A pesquisa indica que os entrevistados avaliam que Fernando Haddad “melhor representa os interesses” de pobres, trabalhadores, aposentados e mulheres. A avaliação é de que Jair Bolsonaro “melhor representa os interesses” de ricos, empresários e bancos.

Para o cientista político Malco Camargos, professor da PUC Minas, a campanha de Jair Bolsonaro percebeu esses sentimentos. Evidência disso é o anúncio de que, se eleit,o o candidato do PSL pretende adotar o “pagamento do 13º” no Programa Bolsa Família – o que também ajuda a desfazer ruído provocado após o posicionamento do general Hamilton Mourão, candidato a vice-presidente na chapa pelo PRTB, contra a forma atual de pagamento do benefício aos trabalhadores com carteira assinada.

O cientista político diz que os dados sobre o candidato do PT indicam que “há percepção entre aqueles que mais demandam políticas públicas de que a vida melhorou no período dos governos petistas”. Conforme o acadêmico, os mais pobres podem temer que essas iniciativas acabem.

Reforço no discurso

Camargos assinala ainda que a consolidação de Bolsonaro ocorreu “sem o candidato se voltar para o centro político, mas reforçando discurso”. A estratégia de Bolsonaro envolve o apelo à segurança pública, assinalando preocupação com as mulheres, e manter fortes posicionamentos contra a chamada ideologia de gênero, a descriminalização de aborto e a do consumo de drogas.

Conforme o Ibope, a distância de 18 pontos percentuais das intenções de voto entre Jair Bolsonaro e Fernando Haddad equivale a 19,3 milhões de votos válidos. Para o cientista político, a vantagem “não quer dizer que a eleição está resolvida”. Por isso, o candidato deve evitar até o dia da eleição “exposição ao risco”.

Os dados detalhados da pesquisa do Ibope estão disponíveis no site do instituto. O levantamento ouviu 2.506 eleitores. A margem de erro de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, só vale para as questões que têm esse número de respondentes. O nível de confiança estatística é de 95%.

A pesquisa, feita no sábado e domingo (13 e 14 de outubro), foi contratada pelo jornal O Estado de S. Paulo e pela Rede Globo. O levantamento foi registrado na semana passada na Justiça Eleitoral (BR-01112/2018). No site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), estão disponíveis o questionário do levantamento e os locais onde a pesquisa foi aplicada.


 Agência Brasil

Pesquisas Ibope Para Presidente Nos Estados: Veja A Intenção De Voto No 2º Turno

Resultado de imagem para bolsonaro e haddad triste
Pesquisas Ibope realizadas em seis unidades federativas onde ocorrerá o segundo turno para governador também perguntaram sobre a disputa para presidente da República.

Jair Bolsonaro lidera em quatro estados e no Distrito Federal. No DF, ele alcança 70% dos votos válidos. Haddad aparece em primeiro, com 57% das intenções de voto, no Rio Grande do Norte.


Distrito Federal
Pesquisa Ibope - 2º turno - Distrito Federal - votos válidos no estado  — Foto: Arte/G1Pesquisa Ibope - 2º turno - Distrito Federal - votos válidos no estado  — Foto: Arte/G1
Pesquisa Ibope - 2º turno - Distrito Federal - votos válidos no estado — Foto: Arte/G1
Pesquisa Ibope - 2º turno - Distrito Federal - votos totais no estado  — Foto: Arte/G1Pesquisa Ibope - 2º turno - Distrito Federal - votos totais no estado  — Foto: Arte/G1
Pesquisa Ibope - 2º turno - Distrito Federal - votos totais no estado — Foto: Arte/G1
Minas Gerais
Pesquisa Ibope - 2º turno - Minas Gerais - votos válidos no estado  — Foto: Arte/G1Pesquisa Ibope - 2º turno - Minas Gerais - votos válidos no estado  — Foto: Arte/G1
Pesquisa Ibope - 2º turno - Minas Gerais - votos válidos no estado — Foto: Arte/G1
Pesquisa Ibope - 2º turno - Minas Gerais - votos totais no estado  — Foto: Arte/G1Pesquisa Ibope - 2º turno - Minas Gerais - votos totais no estado  — Foto: Arte/G1
Pesquisa Ibope - 2º turno - Minas Gerais - votos totais no estado — Foto: Arte/G1
Rio de Janeiro
Pesquisa Ibope - 2º turno - Rio de Janeiro - votos válidos no estado  — Foto: Arte/G1Pesquisa Ibope - 2º turno - Rio de Janeiro - votos válidos no estado  — Foto: Arte/G1
Pesquisa Ibope - 2º turno - Rio de Janeiro - votos válidos no estado — Foto: Arte/G1
Pesquisa Ibope - 2º turno - Rio de Janeiro - votos totais no estado  — Foto: Arte/G1Pesquisa Ibope - 2º turno - Rio de Janeiro - votos totais no estado  — Foto: Arte/G1
Pesquisa Ibope - 2º turno - Rio de Janeiro - votos totais no estado — Foto: Arte/G1
Rio Grande do Norte
Pesquisa Ibope - 2º turno - Rio Grande do Norte - votos válidos no estado  — Foto: Arte/G1Pesquisa Ibope - 2º turno - Rio Grande do Norte - votos válidos no estado  — Foto: Arte/G1
Pesquisa Ibope - 2º turno - Rio Grande do Norte - votos válidos no estado — Foto: Arte/G1
Pesquisa Ibope - 2º turno - Rio Grande do Norte - votos totais no estado  — Foto: Arte/G1Pesquisa Ibope - 2º turno - Rio Grande do Norte - votos totais no estado  — Foto: Arte/G1
Pesquisa Ibope - 2º turno - Rio Grande do Norte - votos totais no estado — Foto: Arte/G1
Rio Grande do Sul
Pesquisa Ibope - 2º turno - Rio Grande do Sul - votos válidos no estado  — Foto: Arte/G1Pesquisa Ibope - 2º turno - Rio Grande do Sul - votos válidos no estado  — Foto: Arte/G1
Pesquisa Ibope - 2º turno - Rio Grande do Sul - votos válidos no estado — Foto: Arte/G1
Pesquisa Ibope - 2º turno - Rio Grande do Sul - votos totais no estado  — Foto: Arte/G1Pesquisa Ibope - 2º turno - Rio Grande do Sul - votos totais no estado  — Foto: Arte/G1
Pesquisa Ibope - 2º turno - Rio Grande do Sul - votos totais no estado — Foto: Arte/G1
São Paulo
Pesquisa Ibope - 2º turno - São Paulo - votos válidos no estado  — Foto: Arte/G1Pesquisa Ibope - 2º turno - São Paulo - votos válidos no estado  — Foto: Arte/G1
Pesquisa Ibope - 2º turno - São Paulo - votos válidos no estado — Foto: Arte/G1
Pesquisa Ibope - 2º turno - São Paulo - votos totais no estado  — Foto: Arte/G1Pesquisa Ibope - 2º turno - São Paulo - votos totais no estado  — Foto: Arte/G1
Pesquisa Ibope - 2º turno - São Paulo - votos totais no estado — Foto: Arte/G1

Sobre as Pesquisas:
Todas as pesquisas têm margem de erro de três pontos percentuais para mais ou para menos.

O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro.

Confira as informações sobre cada pesquisa:

Distrito Federal: realizada entre 14 e 16 de outubro. Foram entrevistados 1204 eleitores. Contratada por Globo Comunicação e Participações S/A. Registro no TRE protocolo nº DF-05023/2018 e no TSE protocolo nº BR‐04848/2018.

Minas Gerais: realizada entre 15 e 17 de outubro. Foram entrevistados 1512 eleitores. Contratada por Globo Comunicação e Participações S/A. Registro no TRE protocolo nº MG-00033/2018 e no TSE protocolo nº BR‐09362/2018.

Rio de Janeiro: realizada entre 15 e 17 de outubro. Foram entrevistados 1512 eleitores. Contratada por Globo Comunicação e Participações S/A. Registro no TRE protocolo nº RJ-04021/2018 e no TSE protocolo nº BR‐01312/2018.

Rio Grande do Norte: realizada entre 14 e 16 de outubro. Foram entrevistados 812 eleitores. Contratada por Televisão Costa Branca Ltda. Registro no TRE protocolo nº RN-07695/2018 e no TSE protocolo nº BR‐08202/2018.

Rio Grande do Sul: realizada entre 14 e 16 de outubro. Foram entrevistados 1008 eleitores. Contratada por RBS Participações S/A. Registro no TRE protocolo nº RS-01741/2018 e no TSE protocolo nº BR‐08755/2018.

São Paulo: realizada entre 15 e 17 de outubro. Foram entrevistados 1512 eleitores. Contratada por Globo Comunicação e Participações S/A. Registro no TRE protocolo nº SP-07777/2018 e no TSE protocolo nº BR‐07265/2018.


G1