Publicado:
Postador Por Rembrandt Carvalho

Caminhão Baú com camas leito é flagrado saindo da UPA de Sousa; Bens são do Deputado Renato Gadelha (PSC)

A Equipe de transição do Governo eleito de Sousa, Fábio Tyrone (PSB), conseguiu interceptar um caminhão baú de uma transportadora local, que seguia com 10 camas leitos da UPA  com destino a Campina Grande/PB.
O Caminhão de mudança chegou ao começo da noite em frente a UPA – Unidade de Pronto Atendimento, carregou com essas (10) camas leito, pertencentes ao médico, e Deputado Estadual, Dr. Renato Gadelha (PSC), e devolveria ao seu Hospital, local, de onde foram emprestados para o funcionamento da Unidade em Sousa. O episódio estava todo monitorado, inclusive com gravações.
A Equipe de transição do novo governo municipal de Sousa, disse que o ato era ilegal, e não poderia retirar do local, pois se tratava de bens públicos, sem a devida comunicação oficial.
O Caminhão foi interceptado próximo ao Hotel Jardins, saída para Aparecida/PB, e comunicado a Polícia Militar o ocorrido, que esteve no local para as medidas cabíveis.
Momento depois o Deputado, Renato Gadelha chegou acompanhado do Engenheiro “Budinho”, e tentou argumento que o ato não era ilícito, pois se tratava de um patrimônio pessoal, e estava devolvendo ao lugar de origem.

Houve bate-boca entre a Equipe de Transição do Governo Tyrone, chefiada pelo Advogado, Dr. Ney Formiga com o Deputado Renato Gadelha que não queria que o Caminhão fosse levado a Delegacia para o procedimento cabível.

Dr. Renato disse que o ato era “Politicagem”, e que denunciariam a todos na Assembleia Legislativa da Paraíba. A Equipe de Transição argumentou com o Deputado, caso ele tivesse provas, documentos que os bens eram pessoais, não teria problema, enquanto isso, seriam levados a Delegacia, pois estavam antes dentro de um órgão público, por isso, representava até então, um bem público.
O Deputado Renato Gadelha, afirmou que chamaria seu advogado para lhe acompanhar até a Delegacia para que o caso seja esclarecido, mas lembrou que o procedimento era um “factoide politico” de seus adversários, puramente para expor sua imagem perante a opinião pública. 





Repórter PB




OUÇA A RADIO KEBRAMAR FM