Publicado:
Postador Por Rembrandt Carvalho

Governador não comparece a audiência do Caso Portal Terra por causa de procedimento médico, dizem advogados

ricardo-coutinho-fantasma
O governador Ricardo Coutinho passou, nas últimas horas, por um novo procedimento médico, não claramente definido, segundo seus advogados. A informação foi dada durante uma audiência no Fórum Criminal, na tarde dessa quarta-feira (dia 30). A audiência trata de ação movida pelo governador contra o jornalista Hélder Moura, após publicar em seu Blog matéria veiculada pelo Portal Terra.
A matéria, como se sabe, havia sido retirada do ar do Blog por decisão do juízo da 6ª Vara Civil, atendendo um pedido do governador. Mas, há poucos dias, o ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal, em decisão liminar, suspendeu a decisão da juíza, permitindo o retorno da postagem, entendendo que o caso se tratou de censura prévia. incompatível com o estado democrático e de direito.
A audiência dessa quarta foi adiada e um dos motivos foi precisamente porque os advogados alegaram a impossibilidade do governador estar presente, porque teria se submetido a essa procedimento médico, não especificado.
PRA ENTENDER
No dia 20 de março de 2015, o Blog publicou matéria repercutindo reportagem do Portal Terra, assinada pelo jornalista Daniel Favero, com a veiculação da página 89 de pretensa agenda de Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobrás e um dos primeiros réus da Operação Lava Jato. Na página constava o nome do governador Ricardo Coutinho.
Mas, atendendo a uma ação do governador, o juizo da 6ª Vara Cível de João Pessoa decidiu censurar a postagem do Blog. Agora, o ministro Luis Fux, em decisão liminar, liberou a matéria para publicação, entendendo que o caso se caracterizou como cerceamento à liberdade de expressão. Assim, e atendendo a pedidos dos leitores, o Blog publica a íntegra daquela postagem agora liberada.
CONFIRA MATÉRIA CENSURADA POR INICIATIVA DO GOVERNADOR E LIBERADA PELO MINISTRO LUIS FUX
Portal Terra traz agenda de envolvido no esquema Lava Jato citando “Ricardo Coutinho”
O portal Terra traz uma reportagem do jornalista Daniel Favero, com a cópia da página 89 da suposta agenda de Paulo Roberto Costa (ex-diretor da Petrobrás), apreendida pela Polícia Federal no âmbito da Operação Lava Jato, em que pretensamente consta o nome do senador paraibano Lindbergh Farias (PT-RJ), com o codinome “Lindinho”, como tendo recebido dinheiro do esquema…
Segundo a reportagem, Lindbergh teria pedido R$ 2 milhões, mas recebeu apenas R$ 200 mil. O detalhe é que, ao lado de “Lindinho”, também aparece na lista dos beneficiados o nome de “Ricardo Coutinho”, com mais 14 outros citados que, em tese, teriam recebido dinheiro do esquema. Há uma soma associada ao nome e, percebe-se que, depois, o nome é riscado na lista.
Diz a reportagem, ao analisar o documento: “Para registrar e controlar os repasses de dinheiro, os investigados usavam um sistema de códigos no controle de contabilidade. As empreiteiras, por vezes, mascaravam o dinheiro de propina com doações oficiais para campanhas. Um dos casos relatados pelos delatores foi o do senador Lindbergh Farias, eleito pelo PT do Rio de Janeiro, que teria procurado Paulo Roberto Costa para pedir R$ 2 milhões para sua campanha ao Senado.”
E mais: “O pagamento teria sido feito pela empresa Queiroz Galvão. Em um dos documentos apreendidos no escritório da empresa, consta uma anotação “Lindinho” e a quantia de “200”, indicativo de que se refere a R$ 200 mil para o senador Lindbergh Farias, segundo os investigadores.” O papel tem o timbre da Construtora Queiróz Galvão. O detalhe é que, como se sabe, a Queiróz Galvão doou mais de R$ 950 mil para a campanha de RC, conforme o TSE.
Doações a RC – Uma consulta ao portal do TSE fornece informações interessantes sobre os doadores de campanha do governador Ricardo Coutinho. Dentre essas, constam quatro doações da Construtora Queiróz Galvão LTDA, nos valores de R$ 285 mil (em 31 de outubro de 2014), após o segundo turno inclusive, R$ 665 mil (8 de agosto de 2014) , R$ 625,00 e R$ 425,00 (em 03 de setembro de 2014), o que totaliza R$ 951.050,00, ou quase um milhão de reais. Portal do TSE em http://goo.gl/PqYQ7c.”








OUÇA A RADIO KEBRAMAR FM