Publicado:
Postador Por Rembrandt Carvalho

‘Chorando se foi’: vocalista do Kaoma, é encontrada morta em carro incendiado; polícia prende 1º suspeito do crime

1484841895326-kaomaA Polícia Civil de Saquarema, Região dos Lagos do Rio, prendeu o primeiro suspeito de matar Loalwa Braz no início da tarde desta quinta-feira, 19. Acompanhado da Polícia Militar, o delegado titular da 124ª DP, Leonardo Macharet – responsável pelas investigações da morte da cantora – esteve na pousada Azur, de propriedade de Loalwa, para novas diligências.
O homem, que segundo a Polícia Civil trabalhava na pousada de Loalwa, deixou o local algemado e indicou aos policiais onde estavam alguns objetos que teriam sido escondidos pelos cúmplices. Entre eles, um disco de ouro do grupo Kaoma,  algumas facas, uma memória externa de computador, uma mala e um vaso de cerâmica. Ainda de acordo com a polícia, o corpo de Loalwa foi encontrado dentro de um carro carbonizado a 800 metros da pousada, que também teve uma parte incendiada.
Na manhã desta quinta, 19, o major Domingos do Corpo de Bombeiros de Saquarema, confirmou ao EGO que foi solicitado combate a um incêndio em uma residência no Bairro Jardins. “Teve um príncipio de incêndio em um imóvel na Estrada da Barreira, no distrito de Bacaxá, na altura do número 3.333. Depois de combatido, recebemos a ligação de um policial solicitando atendimento para combater outro foco de incêndio em um carro nas proximidades. No procedimento de rescaldo do veículo, conseguimos identificar a presença do corpo de uma mulher que estava carbonizado.”
 A cantora de 63 anos – famosa pelo hit “Chorando se foi” – estava em tratamento para curar um câncer. Ela era casada e tinha dois filhos, mas morava sozinha em um sítio na mesma cidade, já que o marido estava morando na França. De acordo com sua assessoria de imprensa, um dos filhos seguiu para a Região dos Lagos logo após saber da notícia.
Vida e carreira
De Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio, Loalwa foi morar em Paris, em 1985. Casou-se com um francês e passou a cantar jazz em clubes e casas de show francesas. Formou o grupo Kaoma, que cantava reggae e salsa, e se surpreendeu quando foi convidada para cantar lambada.
“Muita gente me criticou porque eu tinha formação clássica e ia cantar música popular”, contou ela, em entrevista ao EGO em 2009.
Talvez por ter sido criada ouvindo ritmos variados, Loalwa não se importou com as críticas e topou o desafio. A lambada explodiu no Brasil no final dos anos 80 e foi levada aos outros países nos anos 90. A cantora começou então seu périplo pelo mundo, fazendo shows em um total de 116 países.
Da Redação 
Com Ego

OUÇA A RADIO KEBRAMAR FM