Publicado:
Postador Por Rembrandt Carvalho

Chuvas tiram açudes da região de Coremas do volume morto após anos de seca extrema

Chuvas tiram açudes da região de Coremas do volume morto após anos de seca extrema
As chuvas continuam banhando o Sertão paraibano. Em algumas áreas com mais intensidade e frequência. Em outras, menos. Mas suficientes para amenizar os impactos da seca, principalmente quando os reservatórios que estavam quase secos tomam essa água e saem da situação crítica.




Foi o que aconteceu com o açude Estevam Marinho, em Coremas, que já saiu do volume morto. Entre os dias 11 e 25 de fevereiro, o manancial teve recarga de mais de dois milhões de metros cúbicos de água. Hoje o seu volume é de 16.171 017,00 m³.
A barragem do açude Capivara, na cidade de Uiraúna, também começou a receber sua primeira recarga de água com as chuvas que caíram na região de Cajazeiras. Segundo informações da Cagepa, a barragem conseguiu acumular 49 centímetros em seu volume total. 

Sousa – As chuvas registradas nos primeiros dois meses de 2017 na cidade de Sousa já superam os índices pluviométricos do mesmo período no ano passado. O panorama positivo para as chuvas tem motivado agricultores a prepararem os roçados confiantes numa quadra invernosa mais regular, principalmente com a chegada das águas de março, historicamente o mês com maior pluviosidade na região. Mas apesar dos bons índices pluviométricos registrados em Sousa, persiste a preocupação com a recuperação hídrica dos açudes responsáveis pelo abastecimento de água de várias cidades da região.
Cajazeiras e Coremas – O volume atual de mananciais como Engenheiro Avidos (Boqueirão de Piranhas) e Lagoa do Arroz, em Cajazeiras, além de Coremas-Mãe D’água, em Coremas, ainda permanece praticamente nos mesmos patamares do início do ano.







Diário do Sertão

OUÇA A RADIO KEBRAMAR FM