Publicado:
Postador Por Rembrandt Carvalho

Irmão de Suzane von Richthofen está entre usuários retirados da Cracolândia

Andreas Albert von Richthofen, irmão de Suzane — condenada a 39 anos de prisão pelo assassinato dos pais — foi um dos usuários de crack encaminhados para o hospital, após uma ação da Prefeitura de São Paulo na região conhecida como Cracolândia. Ele foi levado para o Hospital do Campo Limpo, na zona sul da capital paulista, na madrugada desta terça-feira (30/5). As informações são do jornal O Globo.

Suzane von Richthofen desiste de curso em faculdade com custeio do Fies
Namorado de Suzane Von Richthofen diz que casal planeja ter filhos

"Queria que ele pudesse me perdoar", diz Suzanne von Richthofen sobre irmão
O rapaz, que hoje tem 30 anos, teria sido encontrado por policiais militares enquanto tentava pular o portão de uma casa que ele dizia ser de seu tio. Quando chegou ao hospital, Andreas, que estava agitado, desorientado e agressivo, teria tentado se jogar de uma maca.

Ainda de acordo com a reportagem do O Globo, Andreas chegou ao local com sintomas que indicavam o abuso de substâncias ilíticas. Ele estaria sujo, com vários ferimentos pelo corpo e demonstrava preocupação com uma medalhinha dourada, onde estava escrito o seu sobrenome, que ficou conhecido em todo o país após a barbárie cometida pela irmã. Há previsão de que o paciente fosse transferido para uma casa de tratamento de usuários de droga ainda nesta terça.

Andreas tinha apenas 15 anos em 2002, quando Suzane, com o auxílio do namorado Daniel e do cunhado Christian Cravinhos, assassinou o casal Manfred e Marísia Richthofen. Em 2015, já na cadeia, Suzane chegou a dizer que gostaria de se reaproximar do irmão. "Eu sei que causei muito mal. E queria que ele pudesse me perdoar e estivesse presente novamente", afirmou à época.

Depois da morte dos pais e da prisão da irmã, Andreas passou a ser o único herdeiro de Manfred e Marísia Richthofen. Após uma longa disputa, a Justiça decidiu que, até o rapaz completar 18 anos, os bens ficariam sob administração de seu tio, Miguel Abdalla.








Correio Braziliense



OUÇA A RADIO KEBRAMAR FM