Publicado:
Postador Por Rembrandt Carvalho

'Assumo de forma honrada, numa hora tão difícil para o País', diz novo ministro da Cultura

'Assumo de forma honrada, numa hora tão difícil para País', diz novo ministro da Cultura: "A Cultura é um poderoso antídoto para a crise", afirma Sérgio Sá Leitão
O ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, afirmou há pouco, durante cerimônia de posse no Palácio do Planalto que está honrado com o convite, que vai trabalhar com "dedicação, responsabilidade, transparência" para corresponder às expectativas do presidente Michel Temer e que fará o possível para reduzir custos e aumentar receitas. "A Cultura é um poderoso antídoto para a crise", disse. "Sei que as condições são adversas, começando a sair da maior recessão da nossa história.

'Assumo de forma honrada, numa hora tão difícil para País', diz novo ministro da Cultura: "A Cultura é um poderoso antídoto para a crise", afirma Sérgio Sá Leitão© ANDRE DUSEK/ESTADAO "A Cultura é um poderoso antídoto para a crise", afirma Sérgio Sá Leitão
O próprio Minc passou por período de incerteza e instabilidade", afirmou, dizendo que é preciso sair da crise e isso se faz pelo trabalho. "Quero contribuir a partir do Ministério da Cultura para que o Brasil saia da crise", disse. "É justamente nos momento de crise que serem humanos são testados."

O novo ministro disse ainda que a Cultura tem um PIB maior do que o das indústrias têxtil, farmacêutica e eletroeletrônica e está "no cerne da economia criativa, ajuda a gerar empregos". Segundo ele, as reformas estruturais "apontam para novo Brasil que sonhamos". "Juntos, somos mais fortes, podemos enfrentar desafios e superar obstáculos, separados nos enfraquecemos", declarou. Leitão afirmou que assume o ministério "de forma honrada numa hora tão difícil para o país" e que a Cultura "é a melhor ferramenta para ressuscitar sonhos".

O novo ministro lembrou que trabalhou com o ex-ministro da Cultura Gilberto Gil e disse que tem muito orgulho de ter trabalho com o cantor, que foi ministro nas gestões do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Leitão fez um breve histórico de sua carreira e diversos agradecimentos, incluindo também uma referência ao ex-presidente José Sarney, que esteve na cerimônia.

O cargo do Minc estava vago desde 18 de maio, quando o deputado Roberto Freire (PPS-SP) deixou o posto, após a divulgação da delação do Grupo J&F, que atingiu Temer. Com a imagem fragilizada pela denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República, Temer abriu mão de uma indicação política e decidiu agradar ao setor artístico com a nomeação do jornalista.






Estadão

OUÇA A RADIO KEBRAMAR FM