Publicado:
Postador Por Rembrandt Carvalho

Governo RC contrata por mais de meio milhão de reais, via PBGás, escritório delatado na Lava Jato pela JBS

Caso Erick Advogados denuncia de SaudO governador Ricardo Coutinho, ou não teme, ou não acredita no trabalho da Operação Lava Jato. Pelo menos a julgar pela mais recente decisão do seu Governo de contratar, através da PBGás, um escritório de advocacia que foi delatado na Operação. Os contratos superam meio milhão de reais. Somados, R$ 580 mil. Trata-se do escritório Erick Pereira Advogados, que tem sede no Rio Grande do Norte.
O detalhe é que, na denúncia veiculada há poucos dias pela Revista Época (https://goo.gl/6KG7Cz), o escritório é acusado de passar notas frias para lavar dinheiro da… JBS, do Joesley e Wesley Batista, que confessaram, em delação premiada, terem comandado um esquema de propina a políticos de todo o País, inclusive o presidente Temer.
Segundo a Época, “acusado de passar notas frias à JBS para lavar dinheiro da empresa repassado a políticos, o escritório do advogado Erick Pereira se gaba de ter o ex-ministro do STF Cezar Peluso como consultor. Peluso nega. Diz ter firmado uma parceria com Pereira, já desfeita, apenas para usar instalações. Pereira é filho de Emmanuel Pereira, ministro do Tribunal Superior do Trabalho”.
A denúncia em relação ao escritório de Erick Pereira, e mais outra dezenas deles, foi feita pelo executivo Ricardo Saud, em delação à Procuradoria-Geral da República. Saud revelou, em maio: “Nós vamos ter tratado com mais de 100 escritórios de advocacia, todas notas falsas.” O envolvimento dos escritórios é detalhado em dezenas de páginas dos anexos da delação. (Mais em https://goo.gl/8Pvuo3).
Mesmo após a denúncia de Saud, o Governo celebrou um novo contrato com o escritório de Erick Pereira, no último dia 26 de junho, em plenos festejos juninos, no valor de R$ 200 mil para, segundo os termos, tratar de causas trabalhistas da PBPrev. O Governo RC já havia firmado um primeiro contrato, em julho de 2014 (em pleno fervor eleitoral), por R$ 380 mil. Somados, R$ 580 mil, mais de meio milhão de reais.Caso Erick Advogados revista Época
O detalhe é que, nem no primeiro, nem neste segundo (que ainda é tão recente), o escritório teria conseguido algum êxito junto ao Tribunal Superior do Trabalho, em Brasília. Como afirmou um funcionário da PBGás ao Blog: “Não ganhou uma.” O que não deixa de ser uma curiosidade extra.
CONFIRA OS CONTRATOS

Caso Erick Advogados contrato2014
Caso Erick Advogados contrato2017










OUÇA A RADIO KEBRAMAR FM