Publicado:
Postador Por Rembrandt Carvalho

Juiz Sérgio Moro confirma depoimento presencial de Lula em setembro

O juiz federal Sergio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jatoem primeira instância em Curitiba, confirmou nesta sexta-feira que o próximo depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como réu, no dia 13 de setembro, será presencial. Moro aceitou o pedido dos advogados de Lula, que não concordaram com a sugestão do magistrado de que a oitiva fosse feita por meio de videoconferência.

“Sugeriu o Juízo na ocasião a realização do interrogatório do acusado Luiz Inácio Lula da Silva pelos motivos ali expostos. A Defesa não aceitou. Diante da recusa, o interrogatório será presencial”, escreveu Moro em despacho na tarde de hoje.

Ao propor a alternativa, Sergio Moro havia lembrado que o primeiro depoimento do ex-presidente como réu, na ação penal envolvendo o tríplex do Guarujá, em 10 de maio, “acabou envolvendo gastos necessários, mas indesejáveis de recursos públicos com medidas de segurança”. Naquela ocasião, aliados políticos de Lula, além de milhares de militantes do PT e de movimentos sociais e sindicais, foram a Curitiba em apoio ao petista.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Paraná, 1.700 policiais militares foram mobilizados no esquema de segurança para o depoimento do ex-presidente, que também contou com patrulhamento por helicóptero da Polícia Militar e acabou custando, no total, 110.000 reais.

Em resposta à sugestão de Moro, os advogados Cristiano Zanin Martins e Valeska Teixeira Zanin Martins, que defendem o ex-presidente, afirmam que o Código de Processo Penal assegura a Lula o direito de ser interrogado presencialmente, que a lei prevê que a videoconferência só seria admitida em casos especiais e que “nenhuma alegação de ‘gastos desnecessários’ se mostra juridicamente válida para alterar a regra do interrogatório presencial estabelecida na lei”.

Folha São Paulo

OUÇA A RADIO KEBRAMAR FM