Publicado:
Postador Por Rembrandt Carvalho

Maia faz apelo para que PSDB volte a base do governo para aprovar reformas

Um dia após a votação que arquivou a denúncia por corrupção passiva contra o presidente Michel Temer, o Presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia (PMDB-RJ) fez um apelo para que o PSDB volte à base aliada, após o racha na bancada do partido na sessão de ontem. Para Maia, agora que a o governo precisa reorganizar sua base para ter entre 330 e 340 deputados e conseguir votar a reforma da Presidência.

— O ponto chave é reorganizar com o PSDB. O PSDB e muito importante para a base do governo — disse o deputado, que dará uma palestra a investidores em um hotel em São Paulo.

Maia lembrou que o Palácio do Planalto se enfraqueceu desde a delação da JBS, mas que, por outro lado, o resultado foi melhor que o esperado quando a Câmara dos Deputados entrou em recesso, há três semanas. Para Maia, o governo precisa reorganizar a base aliada e retornar a uma bancada de 330 a 340 deputados antes de levar as reformas ao Plenário.

Na votação desta quinta-feira, o governo conseguiu que 264 deputados apoiassem a permanência de Temer na presidência, mas o governo precisaria de 308 votos para aprovar reformas como a da Previdência. Maia afirmou que não colocará o projeto em votação caso a base aliada não volte a ter entre 330 e 340 deputados.

— Sempre tem perdas. Os analistas do governo esperavam 280, 290 votos ontem e teve 264. Com menos de 330, eu não coloco para votar — disse o presidente da Câmara.

Mesmo com os votos do PSDB, o governo ainda estaria abaixo do mínimo necessário para a aprovação de reformas. Rodrigo Maia disse que nem todos os que votaram pelo prosseguimento da denúncia são contra as reformas.

— O PSDB é a favor dessa agenda. A parte do PSDB que votou pela abertura do processo também defende as reformas. Já passou a denúncia, é importante que a gente deixe ela para trás e que a gente olhe para a frente. A Câmara decidiu rejeitar a denúncia então temos que olhar o governo até 2018 — disse.

BARGANHA POLÍTICA

Rodrigo Maia se disse satisfeito com a votação de ontem, apesar da confusão que tomou conta do plenário em alguns momentos. O presidente da Câmara classificou a sessão como um embate político mas que, na média, os parlamentares atuaram de acordo com sua função. Segundo Maia, o essencial era que a votação ocorresse e com um quórum elevado, em torno de 500 deputados votantes, o que ocorreu.

Após a sessão, o Presidente da Câmara recebeu um telefonema do presidente Temer, que o agradeceu pela condução da sessão. O deputado disse que apenas cumpriu seu papel.

Questionado sobre como viu o papel do governo na votação, que incluiu a troca de deputados na Comissão de Constituição e Justiça e liberação de emendas parlamentares, Maia desconversou:

— Tem que perguntar pro governo. Meu papel eu fiz bem.




 Flavio Freire

OUÇA A RADIO KEBRAMAR FM