Publicado:
Postador Por Rembrandt Carvalho

Prefeito Ostentação Usava Prefeitura para ter Vida de Milionário

A terra conhecida por seu abundante laranjal, ao que consta - e pelo que se observa - virou outro tipo de laranja. Julgam os malfeitores que toda a sociedade é composta por bananas, sem querer ofender as frutas, claro.

O prefeito Anderson Souza, conhecido como "prefeito ostentação", rifou convênios ainda não materializados, pagou serviços sem contrato e realizou licitações malucas, várias delas apontadas como fraudulentas, onde, segundo denúncias, nada do que está no projeto guarda coerência, lógica ou legalidade.

Há quem diga que empresários pré-financiam o prefeito em gastos completamente fora da sua realidade econômica. "Ele agora está levando uma vida de milionário, usando a prefeitura como se fosse propriedade dele", afirma um ex-aliado de Anderson.

O "prefeito ostentação" tem uma eloquência que embriaga as classes C, D, E e principalmente a F, mas não ilude o Tribunal de Contas da União, onde seus atos de gestão relativos ao seu último governo foram, em série, alvos de retumbantes condenações, e nos últimos 30 dias todos os seus recursos no TCU foram perdidos.

Outra instituição algoz de Anderson é o Ministério Público Federal (MPF), que agora em julho de 2017 emitiu nota em seu site, apontando dezenas de falhas na área de educação, todas ligadas à má gestão.

Na área da saúde, também em 2017, é alarmante o relatório do MPF, que aponta uma série de irregularidades  com consequências graves para a população.

Nenhum pouco menos atuante, o Ministério Público do Estado, no primeiro semestre, já abriu pelo menos duas dúzias de inquéritos para investigar atos de gestão de Anderson na Prefeitura, e, segundo o PORTAL DO ZACARIAS apurou, após o recesso, que termina na próxima semana, Rio Preto da Eva deverá bater o recorde do estado em ações judiciais, em sua grande maioria questionando o festival de dispensas e inexigibilidades de licitacoes e os pagamentos feitos pela prefeitura e seus órgãos.

Também apontando sua bateria para a terra dos "laranjas" estão o Tribunal de Contas da União, por conta da decretação de estado de emergência e seus gastos e de convenios e repasses federais.

Apesar do estado dos ramais, das dezenas de irregularidades constatadas pelo Ministério Público em escolas e hospital, e da falta de medicamentos, do lixo irregular, das ruas esburacadas, Anderson, que governa de forma ditatorial, com uma Câmara de Vereadores totalmente omissa, faz gastos milionários contratando artistas sem licitação e com recursos públicos e promovendo festas nababescas, sem que qualquer providência seja tomada pelos órgãos de fiscalização.

O PORTAL  apurou também que o prefeito autorizou contratação de quase um milhão de reais para divulgação de seus atos, que deveria ser feita apenas na firma oficial, via Diário Oficial.

O PORTAL  vai entrevistar os promotores de Justiça federal e do Estado, o presidente do Tribunal de Contas do Estado, para saber que providências eles pretendem adotar sobre a farra dos contratos de Rio Preto, diante de tudo que foi apontado.

Também estamos analisando várias denúncias contra a prefeitura, principalmente de empresários envolvendo supostas negociatas, agiotagem, pagamento de propinas e outros crimes e já adianta que tudo o que receber será encaminhado à Justiça e divulgado.

Melhor da festa: Anderson, esta semana, já foi condenado em um dos processos a que responde por improbidade administrativa, na Justiça Federal, e, ao que consta, além de perder o mandato, deve ficar inelegível e pagar milhões de reais em multas, além de ser novamente sentenciado em outras ações de improbidade, tudo por má administração.



OUÇA A RADIO KEBRAMAR FM